+ textos

Que haja luz II: a verdade por trás do acontecido

- Cansei. Cansei dessa vida medíocre, cansei dessas pessoas falsas, cansei de mim. Tudo que eu queria era não ser eu mesmo. Parar de ser assim, de pensar tanto nos outros, de pensar tanto. – Dizia Otávio em alto e bom som.

Ele estava sentado no meio fio de uma calçada qualquer, altas horas da noite. Estava com a barba por fazer, seus olhos castanhos claros estavam vermelhos e inchados. Usava terno e sua gravata estava folgada em volta do pescoço. Suas lágrimas corriam pelo seu rosto que era a perfeita tradução da palavra cansaço. Ele continuava seu monólogo: 

 - Eu avisei pra você, não seja um cara legal. A verdade é que a vida não suporta pessoas boas, porque pessoas boas são fracas, e você é um fraco. 

As poucas pessoas que passavam pela rua naquele horário olhavam para ele com medo. Aquele homenzarrão de uns 20 e poucos anos, de terno e gravata, com uma garrafa em uma das mãos e três folhas de papel na outra, falando sozinho, só poderia ser um bêbado maluco. De uma ruela, saiu um cachorro pequeno, de pelo curto e olhos piedosos, que parou do lado dele. Ele olhou por alguns minutos para o cãozinho que lhe retribuía o olhar. E então acalmou a voz e disse: 

- É, as pessoas não são solidárias com caras legais. Aprenda, amigo. Você quer beber algo? Eu tenho uma garrafinha de água aqui. Eu sou tão idiota que nem no fundo do poço eu bebo. Eu pergunto, que tipo de idiota não bebe? Eu respondo: eu. Por que fizeram isso comigo? Por que? Que tipo de pessoa é tão ruim que merece ser despedida do emprego, chifrada e saber que está doente no mesmo dia? E ainda por cima não ter nenhum amigo pra conversar? Por que as pessoas se afastam de mim? 

O cachorro, que por um milagre parecia entender que aquele humano queria ser escutado, deitou-se ao lado dele e ficou encarando-o, aparentando estar interessado. O homem continuou: 

- É, minha namorada me deu um fora, depois de quatro anos através de uma carta. Ela tirou o melhor de mim e disse hoje: “não seja tão duro consigo, você é legal, mas não tem atitude, sabe? A gente não é mais compatível”. E o meu chefe? Ele disse: “desculpe, você é um bom funcionário, mas temos que fazer um corte de pessoal, você não é mais útil aqui...” Parece suficiente, mas o médico disse pesaroso: "você tem um tumor no cérebro, sinto muito“. É meu caro, eu sou um cara legal, bom, inútil e doente. Mas a sociedade não vai mais ter que se preocupar. 

Num impulso levantou-se e saiu correndo dentre as esquinas para evitar pensar duas vezes. Chegou em sua casa, desceu até o sótão, pegou um velho baú que pertencia ao pai dele, pegou uma arma de fogo, apontou para sua cabeça e disse: 

 - Eu só queria uma luz, mas pelo visto só vou encontrá-la no fim do túnel. Apertou o gatilho. Houve um estrondo. Otávio parecia morto.


15 comentários:

Hélder, o míope disse...

quem quiser ler o texto "Que haja luz I" me diz,
por que eu havia postado ele em outro blog, que acabou faz um tempo.

se quiserem me avise.
eu posto por aqui.

subby disse...

poxa... existem muitas pessoas infelizes assim... pessoas q sempre tiveram tudo para transparecerem o melhor sorriso e de repente..e tbm aquelas q vivem transparecendo o melhor sorriso mas no fundo não o tem.
é uma pena que pra Otávio as coisas tiveram q tomar esse rumo..

de qq forma.. eu adoraria ler o "que haja luz I" se não for postar por aqui.. me manda. :]

amo
*:

Amanda Bia disse...

nossa! que tenso!! é bem aquela coisa de ter cuidado co o que se deseja! você pode conseguir ter!
muito bom texto! mas fiquei com pena dele!
beijos!

Enterufter disse...

Vim fazer meu exame de vista doutor!..rsrs

Ai como eu tava com saudades de todo mundo chamado blogoesfera...adoro demais isso tudo aqui.

Abraços e feliz Ano novo Atrasado!

Jair Eduardo de Oliveira. disse...

Estigante, estigante meu caro!

As vezes nao é bom perguntamos o porquê, mas acho q ele acabou encontrando a luz!

Helber seu blog é catafórico, gostei....

Fada disse...

Uaaauuuu

Adorei seu texto....
Revolucionários ainda hão de manipular esse mundo!!..rsrs

Bom podemos trocar links?!!! caso vc aceite em me linkar, me avisa para que possa te linkar tbm e poder visitar esse blog sempre..

Dá uma passada lá no meu universo...rsrs

Beijo grande

subby disse...

ahhh! o desenho ficou ótimo!
:D

q orgulho desse menino! hueheuhe

amo
*=

Fada disse...

Oieeeee

Muita obrigada pela atenção..

Já tem linkei lá no meu mundo..rsrs

visitarei aqui sempre

beijo grande

Alice disse...

hehehe .. ja estava com sauades de vc !!

gracy disse...

gostei do visual novoaqui..

texto chocante...mas isso acontece mesmo...muito bom

Flávia disse...

Olá Hélder

Nas minhas andanças pela net descobri seu blog e achei muito interessante.

Eu também gostaria as vezes de não ser quem eu sou.

Queria ter voz firme com as pessoas.

Enfim, se quiser podemos trocar links, ok?

bjs

CresceNet disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my site, it is about the CresceNet, I hope you enjoy. The address is http://www.provedorcrescenet.com . A hug.

Claudia Lis disse...

Oi Helder,

Ah, que tristinho! Poxa, acho algo bem pesado pensar em suicídio como possibilidade. A morte, dessa forma, não é uma solução para os problemas. Melhor, quer dizer, menos pior quando ela chegue naturalmente. Mas enfim, interessante o seu conto. Adoro contos!

Beijos

Criiis ;) disse...

Coitado do Otávio! mais ainda bem que ele não se suicidou :}
ah e eu sou uma idiota que não bebe, eu fico bebada com coca-cola :}

:*

Fada disse...

Realmente o mundo é cruel com as pessoas boas mas não culpa das pessoas boas mas sim dessa hipocrisia toda que vivemos. SOmos obrigados a conviver com um mundo desigual e competitivo, então oras!!! apertando um gatilho não iria resolver o problema, até pq Otávio em "outro plano" e menos um no mundo e vida que segue...

beijokasssssssssssssssss