+ textos

Trevos e afins - Parte I

Nestor caminhava sóbrio para seu trabalho. Rosto inexpressivo. De repente, devido a um desnível na calçada, perdeu o equilíbrio e caiu. Acabou molhando o rosto numa poça d’água.

- Ah, é claro! Não chove há dias e só porque eu caí aqui hoje, tem que aparecer água. Mas que... – Já ia pronunciar algumas palavras impróprias quando viu lá na poça um trevo. Que por sinal, tinha quatro folhas. Ele não acreditava em trevos, ferraduras e pés-de-coelho. Mas, por via das dúvidas, guardou a planta simpática no bolso.

Levantou-se com elegância para mostrar que estava 'por cima' e continuou seu trajeto. Parou no ponto de ônibus. Sentou-se no banco para esperar o transporte, mas, passados poucos segundo apareceu uma senhora de idade. “É impressionante, quando eu me sento em locais públicos aparecem idosos até das paredes”, pensou Nestor. Ele cedeu a ela lugar com um sorriso no rosto.
A senhora de bochechas rosadas e de rosto bondoso aceitou o gesto e começou a tecer elogios sobre o bom moço que tinha lhe cedido o lugar: era educado, simpático, além de ser um “pão” (Palavras dela). Nestor, que mesmo não sendo tão branco, conseguiu ficar vermelho como a gravata que usava. As pessoas que estavam no ponto não disfarçaram e deram boas risadas.

“Finalmente”, pensou ele, quando o ônibus apareceu. Entrou no transporte, escapando das investidas da “Senhora Menopausa”. Aos poucos foi voltando a sua cor normal. Passou pela catraca, colocou a mão no bolso e percebeu que seus vales não estavam lá. Desesperou-se mais ainda ao olhar para o rosto do cobrador que tinha um olhar de “não tenho o dia todo!”. Pensou rápido e pagou a passagem em dinheiro mesmo.

Sem olhar, sentou-se num lugar qualquer. Fechou os olhos, respirou fundo. Abriu novamente os olhos e teve a primeira boa visão do dia: uma mulher linda. Cabelo cacheado, olhos azuis, lembrava muito a Ana Paula Arósio. Ele sorriu sem esperança, por achar muita areia pro seu caminhãozinho. Mas, ela devolveu o sorriso mais incrível que ele não viu desde que se conhece por gente. E ela foi além, começou a conversa:

- Oi.
– Oi... – Respondeu Nestor meio enfeitiçado.
- Tudo bom?
- Tudo sim. E você?
- Mais ou menos. Uns probleminhas. Precisava de um ombro amigo.
- Bem, nós temos 30 minutos de viagem e o todo tempo que você quiser me presentear com sua incrível companhia. – Nestor ficou orgulhoso de si mesmo com essa colocação digna de um Oscar.
Ela soltou mais um sorriso daqueles. E disse:

- Sorte minha achar um cara tão especial...

(Passaram-se 30 minutos de conversa tão melosa que vou poupar-lhes do ataque de diabetes).
No fim da viagem ele desceu do ônibus com o número do telefone da moça. Lembrou-se do trevo, que ele pensou que estava trazendo só azar, mas, "Será? Não, não pode ser", pensou ele. Pôs a mão no bolso para beijar o trevo, quando...

[Continua]

21 comentários:

subby disse...

não acredito que você acaba de me deixar na curiosidade.
caramba.. adorei o "ataque de diabetes" e "senhora menopausa". hahahahaa
só encontrando uma mulher tão linda qnt ana paula arósio mesmo.. dps de ter dado com a cara numa poça d'água.
espero que o Nestor se dê bem.

**=

gracy disse...

quando ele foi beijar o trevo...era na verdade a velha do ponto...mas ai ele acordou sobressaltado.
hauihauiahuiahauihiuhiuhauiahaiuhiuhi

Scheidex disse...

ahushusauhsauhsauh
curioso pra saber o resto...
^^

também não acredito em sorte, mas sempre tem um "por via das dúvidas"


rsrs
abraços

Juliana Caribé disse...

quando???

(quero ler a continuação...)

MH disse...

Uma vez eu ganhei um trevo de quatro folhas.
Ele tava dentro de um platiquinho.
O trevo me deu sorte po muito tempo, ate o dia que eu abri o plstiquinho e vi que o trevo nao era de verdade....ai ele foi perdendo a força e minha mare de sorte acabou. Droga, quem mandou eu descobri que era falso.

Dannyell disse...

muito bom, conseguiu provocar curiosidade sobre o fim da historia.

e ai como foi o fim de semana, hj provavelmente nao te verei no msn...

abraços

Alice disse...

já estou a espera da segunda parte.... bjkass

Jeniffer Santos disse...

oO
qdo o q?

eu axo q ele não estava c o trevo no bolso...deve ter caido em algum lugar ;D

beijos!

- Mô ღ disse...

Aaaaaahhhhhh!!!!!!!!!!!

Odeeeeeeeeio ficar curioooooosa!! hahaha

Post looogo a parte II! =D

Beeeeeijos! Boa semana!

Fabio Martins (Dú) disse...

espero que nene se dê bem, bom texto boa dinâmica, me fez prestar atenção imaginar a cena e mais ainda me prendeu ao mesmo!!!!

Voltarei para saber do final...
capricha!!!

abraço

- Mô ღ disse...

hauahu...tenho ctz q nao fez por mal! É q eu sou curiosa mesmo! ;)

E o texto tah mto bom!!! Não dá vontade d parar d ler...

Beeeijos!

Criiis ;) disse...

As vezes eu odeio minha curiosidade ;x
vou ficar só imaginando né, depois eu te conto se chegou perto.. ahahhaa :*

NANDO DAMÁZIO disse...

Gostei do conto, essas historinhas de um cotidinao inusitado me fascinam ..
Voltarei aqui logo para saber o que vem depois desse "quando..." !!

Sei bem como é isso, meu blog também segue essa linha de contar história a conta-gotas, hehe ..
Abração !!

Fabio Martins (Dú) disse...

hahahaha!!!!!
que isso fui sincero sempre vou ser!!!!
mandou bem mas agiliza a segunda parte ae!!!
vai... poxa... abraço

- BiAaaAah* disse...

apooosto que o papel com o telefone voou! ahhahaha

essas histórias, viu! deixam a gente curiosooo!

adorei a parte da diabetes!huahauhuahua

beijos

Marcela disse...

Eu penso que daqui alguns anos vai ser impossivel andar de ônibus. Talvez criem bancos de preferência para não-idosos.Talvez os não-idosos, por serem minoria, até possam andar de graça. Ou talvez paguem pelos outros 48 passageiros que não pagam.

Marcela disse...

uahuahuah não vejo a hora da continuação...

Texto gostoso, Helder! Da vontade que nao acabe =D

Beijo!

Fada disse...

Quando???? QUando????? Quando o que???
O trevo nao estava mais lá??
O trevo não era trevo???
Era uma planta qlq não era um trevo?
O trevo murchou?
O trevo multiplicou???

Quando?? Quando????


Aiiiiiiiiiiiiiii ...rsrsrs

Amiguinho "Senhora menopausa" foi td!!!..rsrs

Amo seus textos!!

beijokas

Dom Filipao disse...

vim agradecer a visita
e deparei com um texto
começei a ler
e no fim
aparece o quando...
Quando o que?
Hein
Hein

Voltarei...

Fernando disse...

Gostei da primeira parte. E tô indo agora lá pra segunda...

P.S.: na boa, de extremo mau-gosto o apelido de "Senhora Menopausa."

Fernando Locke disse...

hauahauahuahauahu! tá ficando interessante!se vc for nomeu blog, procure o texto "no onibus", creio q gostará!