+ textos

Verdade ou consequência?

Rodrigo não gostava nem um pouco de Maíra. Maíra por sua vez também não ia nem um pouco com a cara de Rodrigo. Mas os dois eram muito orgulhosos para assumir qualquer falta de controle ou desequilíbrio, então mascaravam qualquer ato que fosse julgado inferior.

Certo dia, por coincidência, os dois pegaram o mesmo elevador. E por coincidência também, o elevador estava vazio no horário de pique.
Rodrigo olhou pra cima, como que se perguntasse aos céus porque isso acontecia com ele. Maíra fez o mesmo e acabou não vendo o mesmo gesto do colega. Ela acabou começando a conversa:

- Oi Ro. Tudo bem?
[Pensou: “Espero que não esteja.”]

- Boa noite, estou muitíssimo bem. E você?
[Pensou: “Uma noite péssima pra você!”]

- Melhor agora.
[Pensou: “Sinta-se nas nuvens, a queda é pior.”]

Ela continuou:

- Parece que vai chover né?
[Pensou: “Nem pra cair um raio na sua cabeça.”]

- Acho que não. O vento está meio fraco.
[Pensou: “Sua burra! Não assiste a previsão do tempo?”]

- Ah, você conhece bem o tempo.
[Pensou: “Sabichão. Minha ironia vai te matar.”]

- Nem tanto. Só assisto telejornais.
[Pensou: “Reconheceu a derrota! E ainda dei o golpe de misericórdia.”]

- Eu não assisto televisão, e as previsões muitas vezes não conferem.
[Pensou: “Receba!”]

Ele percebeu que estava se exaltando, não é certo uma pessoa equilibrada se exaltar daquela forma. Respirou fundo e disse:

- Tenho inveja de você, a televisão realmente é um mal.
[Pensou: “Melhor assistir tevê. Vá de reto sua seguidora de modinhas!"]

De repente ouviu-se um estrondo e o elevador parou de súbito.

- Não pode ser.
[Consciência mandou dizer: “Que pena, o elevador parou.”]

- Mais que droga!
[Consciência mandou dizer: “Pois é, veja pelo lado bom.”]

Os dois se olharam. Que coisa mais estranha... Não estavam no normal. E não queriam voltar a fingir simpatia mútua, pois estavam estressados.

- O que eu fiz pra merecer estar aqui.
[Consciência mandou dizer: “Vou ter um tempinho pra respirar.”]

- Também não me é nem um pouco agradável.
[Consciência mandou dizer: “Vamos relaxar.”]

Rodrigo tirou o sapato, as meias, dobrou a calça até o joelho, tirou o terno e folgou a gravata.

- Você não vai ficar nu aqui né?
[Consciência mandou dizer: “Como você se adapta bem ao ambiente.”]

- Bem que você queria.
[Consciência mandou dizer: “Não, não.”]

- O que? Até parece. Com esse chulé você deve espantar qualquer intenção.
[Consciência mandou dizer: “Apesar de você ser bonito não ia pegar bem”.]

- Chulé? Eu não tenho, nunca tive. Mesmo que tivesse, não superaria seu mau hálito.
[Consciência mandou dizer: “Você que é.”]

- Mentiroso! Venha provar.
[Consciência mandou dizer: “Obrigada, são seus olhos.”]

[Beijo]

21 comentários:

Fabio Martins (Dú) disse...

Bacana faz tempo que não passo aqui mas estou na ativa saudades!
Grande abraço.. ótimo texto!

Flávia disse...

Ui... imagina o depois do beijo, quando começassem a trocar farpas a respeito de celulite nos glúteos ou do tamanho do bigulim, rs...

Legal demais o texto! E valeu pela visita. E por não esquecer o caminho, rs.

Ah, sim, esqueci de dizer. Sou cleptomaníaca. Roubei seu link.

Beijo!

subby disse...

'ê elevador de galera hein?'
hauhauhaa
massa heldinho.
no elevador parado, só os dois, 'odiando' um ao outro, nada mais favorável a um beijo..
e como vc terminou o texto aí.. continua sendo nada mais favorável a um beijo, e nada mais q isso. hahaha

amo

Dannyell disse...

hahahaha

ficou bom pacas, fla demais aderbaaaaaaaal

eu achei que eles iam acabar ficando no elevador, mas gostei do lance do paradoxo entre consciencia e subconsciencia

rs

muito bom


abraçossss


:)

Srta Pecinha de Lego disse...

Adoreiii!!! Muito legal o texto..Nunca pensou em transformar em roteiro de verdade? beijos

Juliana Caribé disse...

Hahaha! Conhece o ditado "quem desdenha quer comprar"? Cabe direitinho aí no seu texto...

Beijocas.

disse...

Nunca tinha visto uma historinha com meu nome, essa é a primeira. Vivaaaa!!! Mas infelizmente eu gosto pra c... de Rodrigo. Na verdade ele é meu amigo há tanto tempo que eu nem quero fazer as contas. Mas a irônia dos dois é a mesma, embora não seja um com o outro.

Bjo

Jéssica V. Amâncio disse...

hahaha adorei! 'entre tapas e beijos lalal'

=p

• paloma disse...

Nhaaaain que amoor *-*
meio novela mexicana, mas como uma pessoa já comentou, 'quem desdenha quer comprar'


:D
gostei
se todos os posts forem legais assim, eu linko o teu blog, tudo bem? ^^


beijo :*

Camilinha disse...

Fantástico!!!

Imaginei a cena, e estado de espírito e até o friozinho na barriga...

beijos daqui...

Tyler Bazz disse...

Elevadores... essas magníficas caixas de loucura! aUHAuhaUHAuhauHa

o/

Amanda Bia disse...

muito bom! porque a gente não deixa as coisas acontecerem ao invés de ficarmos nos policiando, né?!
beijos!

Jeniffer Santos disse...

hauhauhaxD

adoreiii!
tenho certeza q foi um super beijo!
coisa de filme de comêdia romântica...
deu até vontade de ver algum ;D

beijos!

• paloma disse...

Aah, novela mexicana pode ser considerado elogio sim. *-*
Tem umas que fazem sucesso. iosdoijosidjosiajdiosajdioasdjiosadj
:D



obrigada por gostar do meu texto *-*
e por me add também.
posta outros textos logo *-*

beijo :*

menina lunar disse...

haaa, me apaixonei por isso *.*

beijo!!

- BiAaaAah* disse...

Dizem que os opostos se atraem!!

Adorei a história! ;D

Enterufter disse...

rsrs..

Adoro essas cenas tão "cotidianas" que tu cria...

simples e perfeitas!

Abraços...

P.S.: Desculpa a demora pra comentar também...é que o tempo anda curto...mas q eu apareço, ah eu apareço...

Teka Soares disse...

Só vc pra fazer uma história dessas...Acho que td mundo esperava o beijo no final mas imagina o depois[que esculhambação não foi?!]. Muito legal.
Brigada pelo comentário e desculpa a demora[também].
Bjo

Fada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fada disse...

Falar que amei seu post já ficou repetitivo?!!!! Tomara que não..rsrs

Eita imaginação gostosa de se conhecer....

beijokas

FERNANDO disse...

Caramba, Helder, gostei do texto. Mas se elas fossem lésbicas, teria sido muito melhor! Kkkkkkkkkkk. Afinal, quem se trata assim, na maioria das vezes é o mulherio, não é verdade. :)

Abraços!