+ textos

Lar, doce lar.

Baseado em fatos.

- Chega de sobremesa Max, você não vai repetir! – Disse a mãe do menino com voz autoritária.

Max fez uma cara de desdém e saiu com raiva para o quarto. Ele não poderia viver com tantas normas, "proibir sobremesa é coisa de ditadura!", pensava ele. Então ele tomou uma decisão: fugiria de casa o quanto antes.

Num instante ele começou a recolher roupas, aquelas mais novas; os brinquedos que ele não abandonava de jeito nenhum; a coleção de figurinhas e os gibis. A cada item que ele recolhia o coração ia a mil pensando nas aventuras que iria viver.

Mochila nas costas e o cofrinho em forma de porquinho nas mãos, já estava tudo pronto. Foi caminhando sorrateiramente até a cozinha para pegar algumas provisões. “Um saco de biscoitos, um pote de geléia e algumas torradas seriam suficientes”, pensou Max.

Nessas horas o coração já estava para pular da boca. Como sairia sem ser visto pela mãe? Max caminhou silenciosamente, passou engatinhando por trás do sofá e abriu a porta devagar. O vento frio batia no seu rosto, mostrando o grande passo que ele estava dando. Respirou fundo e seguiu.

Em casa a mãe estava descansando no sofá, quando escutou umas batidas na porta. Ela abriu e um menino com uma mochila enorme nas costas disse :

- Mãe, que vamos ter de sobremesa amanhã?

22 comentários:

Daniel Simões disse...

opa, estamos por ai...

gostei do texto, o mais engraçado que teve a ver com algumas coisas que estava lendo agora pouco...

hahahaha

abraços meu velho

R Lima disse...

Essa história é típica de quem quer liberdade sem noção...rs.s.s

E cômica.. por ser infantil.

Abçs,







Texto de hoje: sAudaDe...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Janete Andrade disse...

aah qdo somos jovens somos tão inconsequentes! :|

;*

• paloma disse...

As fugas infantis
*-----------------*
que saudade :D
oskopdkasodksakdapkdd

La Critique disse...

Nossa.. Vc escreve de um jeito que coloca agente dentro do texto!

Fiquei até com dó do molque, e me coloquei no lugar del..mas ele é radical em? Por causa da sobre mesa?

Típica situação né, a mae descansando no sofá depois do almoço, o filho aproveita e sai para brincar (esse radicalizou).

euhsauhsa abração

http://lacritique.tumblr.com/

Blau disse...

infancia!
pensamos que podemos tudo,somos tão frágeis,

(:
Beijos;

Tiago Torigoe disse...

UAHUAH fugir de casa é coisa das antigas ^^

Quando eu morava em Pernambuco dei o maior susto na minha mãe quando saí sem avisar :P

Imagina hoje, nas "cidades grandes"...

Tá difícil :P

Dani disse...

Hahahahahahahahaha! Muito bom!!

Esta, é uma forma bonitinha de mostrar o que acontece por aí a todo momento. Nego batendo pé por liberdade, quando nem consegue se virar sozinho e assumir responsabilidades. Prá fazer, tem que fazer direito!!

Muito legal, viu ? Adorei!!

Filipe Garcia disse...

Olá Hélder,

seu texto retrata bem essa neura que muitas crianças têm de fugir de casa. Eu mesmo já tive vários planos de fuga, rs.

Gostei da pitada de humor no final.

Abraços.

Luifel disse...

Excelente texto! Muito engraçado...como criança realmente é inocente...

Abção!

disse...

Criança sempre faz isso né? Foge de casa até o almoço!

Bjo

MH disse...

kkkkkkkkkkkkkk
simplesmente brilhante.

La Critique disse...

com certeza! Com certeza sempre temos uma coisa de criança dentro de nós, e agora nos passamos por crianções e malandros se radicalizarmos como eu neh? hahahahaha


O novo post é sobre a falcidade nossa com as pessoas sabe? E das pessoas com agente tb, lógicoo! hehe

http://lacritique.tumblr.com

Blau disse...

passando para agradecer o comentário,

Gustavo Hermes Soares disse...

Me passou um filme pela cabeça. Lembrei de uma foto minha em que estou preparado para fugir.

hahahah


Que mãezinha linha braba essa, hein!
monitorar a sobremesa??! eu tbm fugiria!

Tyler Bazz disse...

aUHAuhaUHahuAUHAhuaAUHaUHAuhaUHA
Qualquer coisa, ele voltava pra pegar né!

Juliana Caribé disse...

Eu já quis muito fugir de casa, quando morava com meus pais. Mas nunca fiz. Quando saí, foi olhando-os de frente.

Beijos.

Lizzie disse...

Eu, quando criança, também tinha destas 'surpresas'...rsrs

Beijocas,
www.lizziepohlmann.com

... disse...

nossa tem tempo que eu não passo por ak...
muito legal o seu texto Helder!!!
Se eu fosse uma criança agora com certeza eu fugiria dessa ditadura na qual estou inserido hauhuahuahuauha
abraços

PS.: mas tenho quase certeza que iria voltar rs

Flávia disse...

Vc é divino nos seus textos....

genial "garotinho".

bjs

Oak Beamglitter disse...

Eu queria ter que nem ele, pelo menos a coragem de TENTAR fugir de casa D: SASASIASHIASASI

FERNANDO disse...

É porque, sem dúvida, um saco de biscoitos, um pote de geléia e algumas torradas não proveriam o pestinha. Afinal, o máximo de fuga dele deve ter sido pra debaixo da cama. Hehehe.