+ textos

Comédia Romântica - Eps IV

Claquete IV

- E pior, não foi uma morte comum.

Um silêncio se fez. Seguiu-se então uma confusão total, todos falavam ao mesmo tempo, inclusive eu. Ninguém quis assumir o crime, então tudo seria mais complicado. Começaram os depoimentos.

A senhora, falava algo sobre estar com as crianças na primeira fileira e que seria impossível ela ir até lá, sem fazer barulho algum e matar a mulher. O casal, para se livrar de um problema moral maior, provavelmente confessou que estava "dando uns amassos". Os amigos adolescentes fizeram o que foi possível para prolongar o depoimento deles. Falavam sobre vultos e gritos, tudo muito imaginário. Logo após, o oficial veio até mim.

- Nome, por favor - perguntou friamente o oficial.
- Thomas Alves Campos.
- Thomas, antes de tudo vou te dar uma chance de assumir o crime. Se foi você, por favor, assuma.
- Claro que não fiz nada. Só vim ver um filme!
- Conhecia Anita de algum lugar, Thomas?
- Nunca vi.
- Tem certeza? Vamos, lembre-se. - O oficial falava como se interrogasse uma criança.
- Certeza.
- Bem, notou algo estranho durante o filme?
- Próximo ao fim do filme, ela se mexeu bastante, por alguns segundos. Não liguei e continuei assistindo.
- Bem, bate com o que os médicos disseram. Ela morreu há uma hora, por overdose. O fim do filme foi há pouco, às 22 hs.
Agora são 22:45 hs.
- É, agora posso ir? - perguntei, temendo a resposta.
- Infelizmente, não.
- O quê?! - Perguntei com a voz e a entonação um tanto alteradas.
- Ela foi morta com uma superdosagem de dexclorfeniramina, tendo um ataque cardíaco fulminante. Você é o maior suspeito, por estar tão próximo.
- Impossível!
- Não. A dosagem letal foi injetado com uma pequena seringa, a média distância, com esse aparelho aí que encontramos embaixo de sua poltrona.

Meus olhos não acreditavam no que viam. Tinha mesmo um lançador pequeno, nas mãos do oficial.

- Onde? Impossível! Procuraram digitais?
- Não é preciso, você está usando luvas.
Até havia me esquecido que era uma época fria, eu realmente usava luvas.
- Ai, meu Deus! Eu não fiz nada, juro!
- Poupe-me de seus juramentos, Sr. Thomas. Acompanhe-me à delegacia, por favor.

Eu já ia entrar em desespero, quando, um dos homens do oficial, correu até ele e disse algo.
(Continua)

2 comentários:

Dannyell disse...

desgramado , fez que nem os filmes, cortou na melhor parte, hahahahahah

disse...

como assim?!?
q situação.. armaram tudo pra ele!