+ textos

Sobre mães e videogames

Certo dia, ela deu a palavra de ordem:
- Nada de videogame hoje!
E os anjinhos responderam em coro:
- Sim, senhora!

Só se for o “Sim, senhora”. Mal a mamãe saiu, os dois foram direto ao ponto, sem peso na consciência.

- Sou o primeiro a jogar! – Disse o maior.
- Ta bom, ta bom... – Respondeu o outro, contrariado, mas não quis brigar.

Jogaram a tarde inteira. O Super Nintendo era o melhor. Logo mais, à noite, chega a mãe e pergunta:

- Tudo bem?
- Tudo!
- Vocês jogaram?
- Nãaao! – E completaram com a maior cara de pau:
- E agora, podemos jogar?
- Podem sim. – Respondeu a mãe, crente que os filhos foram bonzinhos (no fundo ela sabia, mães vem equipadas com detector de mentiras).

Os dois correram para o videogame, como se nunca tivessem visto. O maior já falou logo:
- Primeiro!
O outro, sentindo que estava sendo lesado, retrucou:
- Não! Você já foi o primeiro hoje!

Essas palavras soaram como facadas no peito do irmão maior e como bombas para os ouvidos da mãe, que escutava até quando algodões caiam no chão (mães também vem equipadas com audição de morcego). Aí, só posso dizer que a cinta cantou bonito. Mas, como sempre, depois ela veio com voz mansa, como se nada tivesse acontecido, daquele jeitinho que só as mães tem.
É, elas vem equipadas com um coração maior que o normal.

Feliz dia para todas as mães!

6 comentários:

Gustavo Hermes Soares disse...

Estou morando longe de casa...

Esse é o primeiro dia das mães que passo longe da minha mãezinha!

Eu morro de saudade dela... De como brigava para que parasse de andar descalço pela casa... Das suas preocupações... Das suas comidinhas... Das suas risadas.

Não preciso nem continuar né.
Como ela gosta de se justificar: MÃE É MÃE!

subby disse...

hahahhaha
sinto que conheço essa história!
ficou muito lindo o post.. adorei a ft no final.. super retrô. hahah
amo!

Crispi. disse...

Ah muito bom, como sempre!
É bem verdade, mãe vem com tudo isso. Uma vez minha mãe descobriu que eu fiz brigadeiro escondida, só pela minha cara (desconfio eu que pela minha pança tb).
Beijos!

Daniel Simões Coelho disse...

Meigo, hahahahah

Parabens atrasado às mamães.

Filipe Garcia disse...

Filho não consegue enganar mãe, não tem jeito. A culpa fica estampada no rosto e ainda tem disso: nós, filhos, não conseguimos disfarçar.

A crônica ficou excelente, Hélder.

Abraço!

Fernando R. Silva disse...

Post muito bom de dia das mães, meu querido Hélder! Principalmente pela malandragem da noite pra jogarem mais e quando um burro entrega o outro. kkkkkkk. Legal mesmo!