+ textos

Achados e Perdidos SA - Parte II

- ...Preciso que vocês dêem sumiço em alguém.
Por um instante fez-se um silêncio desconcertante. Aquela mulher, que na opinião de Benjamim era um poço de ternura e fragilidade, proferiu palavras tão fortes que por um instante ele pensou que não saíram da boca dela.
- Senhorita, nós não somos esse tipo de empresa.
- Ó, não, não! Peço desculpas, eu me expressei mal. É que não estou acostumada com esse tipo de serviço. Enfim, não quero que você dê sumiço no sentido de morte e sim deslocar alguém daqui para ali, em segredo. – Disse Louise em tom confidencial e fazendo gestos, como se alguém os observasse.
- Interessante.
- E é um pouco mais complicado. Essa pessoa precisa sumir por um dia, mas ninguém pode notar seu desaparecimento. É como estar em dois lugares ao mesmo tempo, quase impossível.
Benjamin vibrou, em silêncio. Era desse tipo de coisa que ele gostava, e não investigações maçantes ou serviços fáceis. Controlou-se um pouco e disse:
- Certo, certo. Preciso de detalhes.
- O homem em questão, meu chefe, se enrolou. Ele afirmou que já havia conseguido uma parceria para a empresa há dois dias, pois seu emprego dependia disso, mas, na realidade, estava viajando com sua mulher (ele também se enrolou com ela, pois havia lhe prometido uma viagem). Alguns desconfiaram que ele não conseguiu e contaram para o chefe do meu chefe. O Big Boss marcou uma reunião com meu chefe para depois de amanhã. Resumindo, ele precisa urgentemente ir em busca da tal parceria em outra cidade, mas tem que estar no trabalho para evitar que as suspeitas se concretizem e, consequentemente, aconteça sua demissão.
O ruivo ouviu tudo atentamente e concluiu que seria um trabalho interessante.
- Suponho que não só ele seria demitido. – Disse ele, sarcástico.
- Sim – Ela fez cara de quem havia sido descoberta – Eu também seria demitida e acusada de ineficiência, embora a culpa não tenha sido minha. E aí? Vocês podem ajudar ou não?
- Claro! – Disse Benjamim ajeitando sua gravata. – Só preciso de algumas informações.
- Tenho algumas aqui. Caso precise de mais algo, ligue.
Louise entregou uma pasta com os dados pessoais, fotos e horários de seu chefe, além de informações sobre a empresa.
- Muito eficiente, Srta. Louise.
- Obrigada.
- Mas, além disso, preciso de um adiantamento.
- De quanto estamos falando?
- Mil reais.
Ela entregou o pacote com o dinheiro e se dirigiu a porta, antes de sair, disse em tom ameaçador:
- Os nossos empregos estão em suas mãos.
- Não se preocupe, são mãos capazes. - Disse ele, confiante.
(Continua)

5 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Ola Helder!

Adorei seus textos. Parabens!

Contrariando o chavão, nem sempre o que começa com VEJA BEM termina mal.

ABs

Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/

Filipe Garcia disse...

Huuuum... tá esquentando, rs.

Achei genial a trama, Hélder. Muito bem elaborada. Acredito que não será nada fácil para Benjamim fazer aparecer dois "chefes". Estou ansioso pelo que virá.

Abraços.

Subby disse...

vc sempre me surpeende..
escreve com uma firmeza ímpar,
e a sua criatividade é encantadora.
tbm qro saber o q está por vir.

amo, beijos.

Crispi. disse...

Ahá. voltou a escrever suspense/policial! Bem o que eu voltei :)
Alias sr. Helder, eu bem me lembro de um certo livro que até hoje não foi terminado né? Ainda sou curiosa a respeito.
Beijos!

Daniel Simões Coelho disse...

Gosto dos nomes que voce da aos personagens, hahahahah

Um misto de novela com contos policiais.

É a influencia de suas leituras de A. C.

lembrei me na hora em que li

;)