+ textos

Ensaio sobre o inacabado

Não completar, não colocar um ponto final. O inacabado não é atrativo, ele cheira a fracasso. Muitas vezes ninguém nota quando se está completo, mas nota a falta de algo. Quando se tem dois olhos é normal, até que você aparece com um tapa-olho. Falta algo, claramente. Não está completo.

Falo de desenhos, livros, textos, favores, frases, músicas, aulas, quebra-cabeças, estudos, cafés... Todos deixados pela metade ou terça, quarta, quinta parte. Viver de metades. É a sina de quem quer viver coisas demais ao mesmo tempo. Seja por esquecimento ou por falta de vontade, as metades vão ficando para trás. E, provavelmente, nunca serão completas. Estarei ocupado com outras coisas que poderão se tornar metades futuramente. Mas essa probabilidade de algo se tornar completo algum dia, inconscientemente, leva à vida.

O inacabado é resultado da vontade de viver. Por isso não me sinto culpado. Minto. A sensação de culpa é grande quando não se completa o que é proposto. Culpa por não chegar aos 100% que é o pódio das conclusões. Culpa pela falta da sensação de dever cumprido ou pelo menos de ter aproveitado até o último gole. Mas prefiro me concentrar no fato de que não exerço o inacabado por simples cansaço das coisas e sim pelas tentativas.

Um exemplo era a vontade de que esse texto ficasse completo. Mas, como pode ver, o inacabado tornou-se natural, espontâneo...


8 comentários:

Daniel Simões Coelho disse...

Que jogo de palavras hein. Muito bom, não quero de fato as coisas pela metade, mas parece que esta é a regra da própria existência.

Abraços

- lua disse...

"Viver de metades. É a sina de quem quer viver coisas demais ao mesmo tempo."

caramba, como me identifiquei.

tenho tantas metades inacabadas, o café, o trabalho fotografico, a carta que ainda não te mandei, o sorriso que as vezes é só na metade do rosto!

o que eu faço?

não consigo viver de partes inteiras, porque sou tantas ao mesmo tempo, não me acostumaria com uma coisa só!

o que eu faço?

Nada, não desistirei, pois assim como você, exerço o inacabado pelas tentativas!

queria viver tudo. (sobre essa frase depois postarei um texto que a explica.)

-

teu texto me fez pensar bastante.

pensamentos a parte, gosto sempre daqui.

cheiro nos olhos míopes.

:)

- Lua.

Cleiton Benkendorf disse...

Que tal uma troca de links?
Responda em http://escuteseusolhos.blogspot.com

Crispi. disse...

Eu detesto deixar as coisas inacabadas, e justamento por isso, sempre as deixo ;/

Luifel disse...

Eu sou um ser em perpetuo processo de crescimento e evolução e me identifiquei mto com o seu texto, rapaz!

Sinto que sou sempre, uma obra incompleta, sempre...

Abção!

Nick Farewell disse...

Você tem certo domínio e talento como poucos que tenho visto. Concentre em viver e praticar para não se tornar um escritor pela metade. Parabéns.

Jéssica V. Amâncio disse...

Realmente, deixamos tantas coisas inacabadas pela vida.. mas quem disse que o que é inacabado necessáriamente não é bom? hmmm, bem pensado.
Queremos viver tudo, e eu digo que é melhor viver um pouquinho de cada coisa, ter um pouquinho de experiência em tudo, do que finalizar tudo de pouco. (é...sei que esse pensamento é pra eu não ficar com sentimento de culpa pelas coisas inacabadas de minha vida). Mas enfim.
Amei esse texto, principalmente o final...rs. Muito bem bolado, você escreve maravilhosamente bem.

Stéfane Dias disse...

Texto super inspirador ,amei o texto e o blog.
Parabéns