+ textos

Achados e Perdidos #2.3 (Final)

Acompanhe desde o início:

#2

#2.1

#2.2

-

Havia chegado o dia do grande evento e lá estava Edgar, maravilhado com o globo luminoso. Os olhos dele já não eram mais opacos como antes, agora brilhavam, refletindo vida. Seus novos colegas comandavam a pista com grandes sucessos como “Thriller”, “Girls Just Wanna Have Fun”, “La Bamba”, “Footloose” e muitos outros.

Finalmente, havia chegado a vez de Edgar assumir a pista. Ele foi até seu posto de DJ e de lá viu que o local estava cheio, era tudo muito real. Não pode deixar de se sentir nervoso, apesar de ter escolhido dois clássicos para mixar. Tremendo, pegou o microfone. Colocou com um som de fundo. Meio inseguro, começou a cantar:

- Shake it up baby, now…

- Shake it up baby! - O público respondeu em coro.

- Twist and shout! – Ele cantou, dessa vez, seguro.

- Twist and shout!

- Come on, come on, come, come on baby now!

- Come on baby!

- Come on and work it on out!

- Work it on out!

E então, Edgar soltou a música “Twist and Shout”, sucesso dos Beatles, arrancando gritos da platéia.Todos foram para a pista e começaram a dançar ao relembrar os passos do filme “Curtindo a vida adoidado”. Ao terminar a primeira música, ele não diminui o ritmo: sem deixar as pessoas saírem da pista, tocou “You Should Be Dancing”, do grupo Bee Gees. O público foi ao delírio. Deixando a música rolar, Edgar saiu do seu posto e começou a se sentir o próprio Tony Manero do filme “Embalos de Sábado à Noite” ao dançar com as pessoas na pista.

Uma mulher, que o observava de longe, se aproximou e começou a dançar com ele, em tom de desafio. Edgar deixou a timidez de lado por um instante e foi até ela, até que, em meio aos passos, os dois se beijaram. Ainda meio desnorteado após o beijo, Edgar olhou em volta e percebeu que quatro pessoas o observavam com uma expressão curiosa. Reparou que dentre os rostos havia o de Benjamim. Resolveu ir até ele, deixando a suposta atriz no meio da pista.

- Oi!

- E aí Edgar, rei das pistas! – Disse Benjamim, surpreso com o resultado.

- Bondade sua, só queria agradecer pelo que fez.

- Não precisa agradecer, afinal, você nos contratou para isso.

- Você me responderia umas coisas?

- Hum... Depende.

- O que é verdade e o que é encenação nisso tudo?

- Há, sabia que você perguntaria. Infelizmente eu não posso responder. Nem tudo é verdade, nem tudo é mentira. Talvez, na segunda, você queira procurar os locais onde você fez seus cursos, não posso impedi-lo. Apenas vá preparado para qualquer surpresa.

- Obrigado. – Disse Edgar, entendendo o que Benjamim quis dizer. - Diga-me... O porteiro e o taxista...

- Isso, são a mesma pessoa. Tenho que conversar com ele, talvez seja bom colocar um bigode.

- Bingo! Hahaha

- Gostei de você, Edgar. Vou quebrar o protocolo dessa vez: dentre o que é real e o que é encenação, aquela mulher que te beijou na pista é bem real. Se eu fosse você não a deixaria plantada lá, como fez. - Disse Benjamim, enquanto se afastava.

Um comentário:

Anônimo disse...

Dooooooooorgas, man! Quase um Perseu! No fim sai de bonitão ainda ganha uma namorada. UAUHAUHUAHUA
Goste do conto, Heldão!


Abraço!