+ textos

Aos meus amigos

Eu o reconheci. Não obrigatoriamente em um primeiro momento. Aconteceu em uma rápida troca de olhares, um meio-sorriso, um aceno positivo único de cabeça ou em risadas simultâneas... Lá está. Reconheço-te, pois você “parece ser uma boa pessoa” ou porque já sei que você traz à superfície lealdade, casualidade, besteira, cuidado. Resumindo: felicidade. 

(Algumas palavras que desvendam o reconhecimento) 

Conspiração 

“Parece ser uma boa pessoa” é uma frase que faz o mundo conspirar a favor de uns momentos compartilhados: morar na mesma rua, descobrir que vai estudar no mesmo colégio, descobrir que vai trabalhar no mesmo lugar, ser da mesma religião, reconhecer outros por já reconhecidos, compartilhar o mesmo espaço (sem frequência definida). 

Momento 

Não há como saber se é reconhecido sem reconhecer. Uma pequena noção do sentimento de quem reconhece é a definição de momento compartilhado. Há quem diga que o melhor do momento é esperá-lo, outros dizem que é passar por ele, mas o principal é a capacidade desse momento não acabar nunca. Num futuro, numa situação qualquer, você se pega sorrindo, sem perceber, ao vivê-lo novamente em pensamento. 

Tempo/Espaço

Quando existe reconhecimento simultâneo, inexiste o afastamento por tempo ou espaço. É uma grandeza inversamente proporcional: quanto maior o reconhecimento, menor o perigo da distância desfazer os nós. Estar distante supervaloriza o estar perto, assim como a escuridão é plano de fundo pra luz (mesmo assim eu ainda prefiro estar ao seu lado, pessoalmente). 

Nós

Nós invisíveis amarram os fios das minhas às suas particularidades. Identificação é sinônimo de reconhecimento, se me identifico não é só por coisas em comum, mas também motivos diversos, pois o que não sou também faz parte do que sou. A cada fio solto reconhecido, um novo nó. De repente, trata-se de nós. 

Lealdade 

Reconhecimento é antônimo de deslealdade. Lealdade é um lugar conhecido, confortável, tranquilo, onde se pode descansar. Lealdade é o legítimo “pode contar comigo”, que não é clichê, pois as palavras só têm valor quando representam a verdade. Lealdade é coerência, não abre espaço para hipocrisia. Você tem a minha lealdade. 

Amor 

O resumo do que há de melhor, do que mais faz bem, reconhecer também é amar. Dar o braço a torcer, contentar-se com o contentamento do reconhecido, achar mais graça em fazer sorrir do que dar seu sorriso (mesmo que se passe por besta), lavar a louça alheia, devolver são e salvo o que pegou emprestado (mesmo que tenha que substituir), demonstrar, pirraçar (buscar contato), fazer de tudo pra não deixar sem graça, abraçar (homens com dois tapas nas costas), participar de comunidades terríveis no orkut, assistir vídeos terríveis, dormir numa casa com gatos (mesmo não curtindo animais), ir na casa do outro meia-noite por ele ter pedido, declarações inesperadas, controlar o temperamento, compartilhar (existe uma lenda antiga que quando pessoas emprestam pertences é sinal de que ambos se reconhecem), suportar manias, deixar sua vontade de lado, construir o outro ao se construir, dividir o computador, morar junto... É amor.

6 comentários:

Teka Almeida disse...

"A gente não faz amigos, reconhece-os."

Vinícius havia me contado isso, mas ouvir desse tão querido amigo é especial o bastante pra roubar lágrimas dessa chorona!

Lucas disse...

Sim, pessoal! a moça de cima é a dona dos gatos!

Heeee, Heldão, você tá jogando duro demais, meu brother! Sem dizer nomes dá pra se achar e achar os amigos em comum nesse texto!

Grande abraço, mano novo!

Diego disse...

Sempre com tapas nas costas!

Daniel Simões Coelho disse...

Valeu por incluir me nesse seleto grupo . Será que mereço? Abraços

Jéssica Trabuco disse...

Lindo!

andreia_s_cn disse...

Lindo filhão, posso reconhecer-te e me ver também dentro dessa sua fantática reflexão sobre amizades.Não preciso lembrar sempre, ou preciso,sei lá ,sou tua fã.............
Sua mãe Andréia