+ textos

Gafe

Não eram nem dez da manhã e Levi já estava pensando no almoço. As horas se arrastavam preguiçosas enquanto ele mudava de cor a cada rugido indignado do estômago. Esse bate-papo nervoso sempre se intensificava ao soar uma dúzia no relógio, pois ele não conseguia deixar de imaginar essa mesma quantidade de ovos numa frigideira. Atravessava as ruas correndo para curtir seu horário de almoço. Já disseram que correr assim era deselegante e caipira, mas a essa hora ele não estava nem aí: o “caipira” somava-se a “galinha” e juntos formavam uma combinação maravilhosa. 

Em mais um desses dias, esbaforido, chegou ao restaurante. Sentou-se com seus colegas. O número de pessoas na mesa aumentaria em breve, pois tratava-se de um almoço de negócios com uma possível sócia. Levi cumprimentou Nelson - garçom e amigo - de forma efusiva. Abraçou-o mais uma vez quando descobriu que uma das opções do dia era feijoada. Nesse instante, a possível sócia atravessou a porta e imediatamente Nelson guiou-a até eles. 

Todos ali fizeram o pedido e em poucos instantes o eficiente garçom chegou desfilando com a comida: feijoada, arroz, farofa na manteiga, vinagrete, couve e torresmo. Levi salivou de emoção. Avaliou como magnífica a primeira garfada - o que ocorreria com todas as seguintes. Nelson acompanhava de longe os comentários sobre a comida, quando previu que eles iriam querer algo e aproximou-se. Todos na mesa o parabenizaram pelo serviço, mas ele não escutou, só conseguia prestar atenção na casca de feijão que cobria engenhosamente o dente de Levi. 

Nelson pesou a situação e julgou que os colegas de trabalho alertariam seu amigo. Tranquilizou-se, pois não seria ele a deixá-lo sem graça. Em dado momento, ocorreu que os colegas de Levi perceberam, aterrorizados, a presença indesejável da leguminosa do mal, mas preferiram ficar neutros. Inocente, Levi sorria para o vento. Ele estava especialmente feliz e sorridente nesse dia. 

Sua possível sócia notou com repugnância o grão resistente. Tratava-se de uma mulher que dava demasiada importância a etiquetas e acabou sendo fatal. Visivelmente incomodada, ela empertigou-se e encerrou a reunião com um “vou analisar as propostas” que soou como um “deixa separado que eu volto mais tarde” (muito dito em lojas). Levi ficou pasmo. Tentava entender a mudança repentina na atitude da mulher enquanto ela saía do local. Nelson e seus colegas ligaram os pontos, mas preferiram continuar neutros. Ainda não conseguiam deixá-lo sem graça. 

Saindo do restaurante, abatido, olhou para o lado e viu uma mulher linda. Sim, ele sorriu para ela. A mulher sorriu de volta por uma fração de segundos, mas quando notou um vão negro na dentição dele, fantasiou um dente a menos e desviou o olhar. Levi continuou sua caminhada ainda mais sem graça. A sua frente, uma repórter fazia um link ao vivo para o jornal da tarde. Quando o viu, ela não hesitou em puxá-lo para uma daquelas rápidas pesquisas de opinião pública. O tema do dia: hábitos alimentares do brasileiros. Levi respondia com simpatia e desenvoltura, mesmo contrariado, enquanto milhares de pessoas gargalhavam e upavam o que seria o próximo viral da internet com milhões de visualizações no youtube

5 comentários:

Isa disse...

Chega ser chato de dizer que adorei o texto, mas ... adorei, e ri muito!
Adoraria ter um texto como esse para ler todos os dias :D
Ah, desativei meu face.
beijos, Hélder!

heelder disse...

Obrigado, Isa! Que bom que deu risada e eu espero que tenha entendido o que eu quis passar. E eu adoraria escrever todo dia.


Você teve mais coragem que eu que tô falando que vou desativar o meu facebook faz um tempo já...


;*

heelder disse...

Obrigado, Isa! Espero que tenha entendido o que eu quis passar e eu realmente adoraria escrever todo dia.


Desativou o facebook, hein? Meus parabéns. No meu caso, ainda estou pesando os prós e os contras...


;*

Laís Freitas disse...

Feijão no dente, mau hálito, cc, chulé e buraco na camisa... Na amizade mais vale o sorriso sem graça do amigo pra você que o sorriso sem grça do amigo pro mundo. Dispensa comentários sobre a qualidade, sou fã de carteirinha.

heelder disse...

Mais uma convertida! Eu que sou seu fã.