+ textos

Res-sentido

bela, linda criatura, bonita, tende piedade!
sua exposição é quase opressão...
quem dera fosse cego igual assum preto,
desses olhos até esse coração,
porque basta ver a fotografia,
sim, sem praia, sem beira mar!
pra eu enxergar além desse cômodo,
apanhar um táxi lunar,
largar minhas certezas,
cantar menos bonito,
porque a dor faz é coisa, moça,
com esperança é só grito.
gravitando no pretume desses olhos
hora nota-se vácuo profundo
então abandono o projeto lua e volto.
mudo. mundo.


2 comentários:

Teka disse...

Da expectativa por seus textos vem a saborosa doçura da poesia. Obrigada por escrever.

Marcus disse...

Gostei =)