+ textos

Sensei

Não ria, eu sempre quis um sensei. Eu esperei um Miyagi, um Mestre Kame ou um Jiraya para me mostrar tarefas aparentemente inúteis que se revelariam ensinamentos valiosos. Ele me mandaria subir uma montanha carregando uma canga de madeira com dois baldes d’água nas extremidades e, ao chegar no topo, eu seria mais sábio, forte e maduro. Não seria mais um menino, seria um homem.

Naruto e Jiraya.

O sensei não chegou. Pior, ele não chegaria, constatei com meus vinte e um. Não houve treinamento supervisionado, não houve instrução, não houve direcionamento. Ainda sou um menino. Corando a face ao menor sinal. Correndo para atravessar a rua. Insuficiente em malícia. Catando uma coragem inexistente. Procurando um espaço no passeio.

É assustador. Meu peito ainda está nu e meus pés estão descalços no asfalto quente. A cabeça de vento, o frio na barriga e a tempestade no copo d’água ainda antecedem todo desafio que me aparece. Driblo a classificação indicativa, meu RG poderia ser considerado falso. Estou nesse grande torneio para adultos e o enfrento imprudentemente. 

O sensei fez falta. Peguei caminhos equivocados, levei boas surras e não aprendi técnicas com nomes legais. Dormi e acordei no sofá e estava rodeado cartas de cobrança de certeza, satisfação, felicidade, filosofia, realização, força, otimismo, grana. Meu desempenho no mundo adulto é péssimo. O tempo é um sacana.

Agora preciso aprender sozinho essas coisas que esperava dele. É a lição mais difícil dada por um mestre ausente. É tudo que eu venho tentando fazer até hoje, muitas vezes sem sucesso. No dia a dia eu substituo a canga de madeira pela mochila, troco a montanha pelas ladeiras e procuro aprendizado. 



5 comentários:

Pales, o estúpido disse...

Muito bom!

Thiago Rebouças Frotas Pereira disse...

Rapaz, perfeito! Como todos os seus textos. Os mestres apontam caminhos. Mas, somos nós que devemos andar, certamente você teve vários e em muitas áreas. O que faltou ou os que faltaram não vieram, por que você precisava ensinar,e não aprender.

Wigner Rodrigues Quaresma disse...

Bom d+++

Francielle Lima disse...

Hélder, você é muito bom!

Hélder Silva disse...

Muito obrigado, Francielle!